.

sábado, 29 de novembro de 2008

EL BOLERO...

Passavam das 2 am e havia um silencio, faltavam palavras e de pronto um amigo me envia um Bolero de (Roberto Cantoral)...La Barca.

Só um amigo Poeta poderia saber, quando o vazio vai amanhecendo nas mãos e a alma busca a ilusão do Amor para alimentar a madrugada.

O Bolero tem o dom de me matar de saudade, me relembra os Amores que tive, o que tenho, aquele que desejo, e os que jamais vou terei.

Instantaneamente me transporto para os anos 50 e 60 quando ainda menina observava meus pais dançando em noites românticas a meia luz.

Eu tive uma cultura musical variadíssima, e graças a meus Pais que adoravam musica, na minha casa se escutava de tudo e de Bom gosto.

O Bolero e Cubano e infelizmente pouco se conhece da enorme variedade de Boleros que existem, como por exemplo Roberto Ladesma, Daniel Santos(Puerto Riquenho) Lino Borges, Orlando Contreras, Xiomara Alfaro, Barbarito Diez, Fernando Albuerne, Rene Cabel, Orlando Vallejos, Olga Chorens e Tony Alvarez, entre muitos e são tantos os Boleristas Cubanos que nao daria para citar todos num texto.

Os Boleros mais famosos e internacionalizados são os de Lucho Gatica um Cantor Chileno que delirava as multidões com seu estilo unico e inesquecivel, na sua voz conhecemos justamente( La Barca) Contigo em la distancia, Sabra Dios, El Reloj , No me Platiques mas Inolvidable e outros...
Na década de 90 surge o Jovem (Luis Miguel ) cantando Boleros 4 nos depois e delirando outras multidões, ao qual tive o privilégio de assistir em Miami e que me deixou completamente emocionada, me levou ao delírio.

E o Bolero continua sua trajetória romântica, rompendo coracoes.

Quem nunca se apaixonou escutando um bolero?

Quem nunca sentiu o abandono e a saudade, num Bolero?

Poucos são os privilegiados, e dentre eles eu me coloco.

Eu morro de amor escutando boleros, são mil emocoes de repente, uma explosão de sentimentos, uma infinidade de lembranças, um sem numero de situacoes vividas , imaginadas e ainda por viver, espero eu.

Amar e tudo que se quer, neste mundo de tanto desamor, tanta insensatez, tanta discórdia e tanta solidão.

O Bolero vem a ser como um estimulo ,aonde cabe uma garrafa de Vinho, uma penumbra, uma Lua cheia, um ambiente sereno num lugar distante, a beira de alguma praia, de vestido social e saltos de 10 cm, bem acompanhada, eloquentemente apaixonada por aquele que lhe levara ao infinito e te entregara uma estrela noite inesquecivel.

Tudo isso produz um bolero, e muito mais.

Contam que o Bolero nasceu na Espanha, chegou ao caribe e criou raízes em Cuba, mas

e um património colectivo.

Conta-se que o primeiro Bolero foi (Tristezas) de Pepe Sanchez em 1886, guitarras e percussão, e ele so ascende depois da morte de Carlos Gardel 1935 (Tango) outro género onde se escuta o Poema Musicado e e então que se expande a era dos (Trios), depois ao estilo dos( Big Band).

O mais interessante de tudo e que o Bolero, e sua era dourada esta intimamente ligada a época dos Regimes Militares, que tinham o interesse de alienar o povo, como sempre... e que este nao se involucra-se na politica e sim se distrai-se com outros assuntos, no caso escutando e dançando Boleros, possivelmente essa foi a única benfeitoria desse tipo de Regime.

Mais o Bolero cobra forca quando a América Latina rompe seu isolamento do resto do mundo depois da segunda guerra mundial, alias nao só o Bolero, senão que outros estilos românticos surgem nesse então, como o swing, o fox , O blue e outros que também deliravam o mundo e nos faziam sonhar.

Ai aparece Augusto Lara, o mesmo compositor de Granada, com boleros imortais como;

Mujer, Noche de Ronda, Solamente una vez.

Rafael Hernandez com Silencio, Perfume de gardenias, Lamento borincano.

Siboney,com Alberto Lecuona, Jurame, com Maria Grever, Lagrimas Negras, com Miguel Matamoros.

Manzanero com Adoro, Esta tarde vi llover, Contigo Aprendi, Te estrano...

Sao tantos os Boleros autores e origens, mas nao podemos esquecer que a musica mais tocada no mundo ate hoje, chama-se (BESAME MUCHO) de uma filha mexicana... Consuelo Velazquez.

Assim passei a madrugada que parecia sem lua, escutando Boleros, graças ao meu Amigo Poeta, e sua delicada intenção de me levar a tempos e beijos, e noites, e desejos esquecidos.
Passei a madrugada apaixonada e me lembrando de ti, dele, e daquele que um dia vou encontrar por ai procurando uma rosa, uma Lua e uma oportunidade para me dizer; que nao pode viver sem mim.












1 Comentários:

  • Querida Honey,
    Me envaidece muito as palavras carinhosas referidas a mim!O Bolero tem muito a ver com o romantismo do poeta, diga-se de passagem, o poeta é um eterno romântico. Pois seu olhar é da alma e do coração, onde tudo é belo e vibra intensamente! Uma música do tipo Bolero mexe até com os jovens modernistas pela sua música incisiva e bela, imagine num poeta que vive na eterna busca da beleza, da vida e de tudo que escapa pelos dedos das mãos desse mundo egoísta e alienado.
    A música tem o poder da transformação e o bolero é o primeiro mensageiro.
    Obrigado também pela lição de música em seu texto. Aprender nunca é demais!
    Beijos no coração!

    Por Blogger Carlos Rímolo, às 3 de dezembro de 2008 11:34  

Postar um comentário

<< Home